Dia mundial do orgasmo e do sexo

Para sexóloga Sônia o sucesso do orgasmo é o autoconhecimento. “Ter orgasmo é um aprendizado. É preciso gastar tempo e ir treinando seu corpo, testando as possibilidades”, diz.

O orgasmo, que corresponde ao maior momento de um prazer sexual, tem data para ser comemorado. Criado na Inglaterra por uma rede de sex shops, o Dia Mundial do Orgasmo é celebrado em 31 de Julho.

O orgasmo é a experiência psicofísica de máximo prazer sentida pelo ser humano. Ele acontece como resposta sexual, depois das fases de desejo e excitação. “O orgasmo é mais que uma sensação de prazer, ele pode unir um casal, aparar as “arestas” do relacionamento, trazer bem estar e otimismo para continuar enfrentando os conflitos do dia a dia e também fora do relacionamento”, afirma a sexóloga.

As sensações produzidas pelo orgasmo são interpretadas no cérebro trazendo para as pessoas envolvidas, a sensação máxima de complementaridade. Na ocasião do orgasmo, o organismo libera neurotransmissores importantes da alegria e vontade de viver (endorfinas e serotoninas). “Funciona como o preenchimento das faltas existenciais, com um efeito curioso e muito bom: o de ser criatura perfeita, inteira e completa. Por isso, eu ouso dizer, que o orgasmo é o melhor antidepressivo e o melhor ansiolítico que existe”, diz Sônia.

É bom lembrar que o nosso corpo está apto para o sexo, equipado biologicamente para ter um orgasmo. Só que é uma experiência psicofísica. Existem mil coisas que podem interceptar o orgasmo. Na dificuldade ou ausência, é necessário a busca de tratamento. Descartados os problemas de ordem fisiológica, os sexólogos se empenham em estudos e pesquisas para cada vez mais, poder oferecer melhores terapêuticas, para que todos e todas tenham orgasmo em abundância.

prazer sexual

Dia 6 de setembro, o dia mundial do sexo

No Dia do Sexo, seis de Setembro, todo mundo lembra o quanto ele é bom para a saúde. A cada ano, os cientistas descobrem novos benefícios do sexo para a saúde física e emocional. Um estudo recente do setor de psicologia do Royal Edinburgh Hospital, no Reino Unido, explica que os benefícios são tantos que, homens e mulheres com uma vida sexual ativa, são donos de uma aparência de cinco a sete anos mais jovem do que sua verdadeira idade.

A explicação é fácil: o hormônio do crescimento é liberado enquanto fazemos amor, o que pode aumentar a elasticidade da pele e diminuir os riscos de aparecimento de rugas. O sexo também ajuda a queimar gorduras e eliminar toxinas que prejudicam o sistema imunológico, enquanto o alívio do stress é suficiente para garantir uma boa noite de sono.

Segundo a sexóloga Sônia “durante a relação o organismo libera endorfinas, que são substâncias responsáveis pela sensação de bem-estar. As endorfinas ainda agem como analgésicos naturais que eliminam dores, diminuem a ansiedade e facilitam o sono. Já o esforço físico age melhorando a circulação sanguínea, o que é fundamental para a saúde do coração e deixa a pele com um aspecto renovado”, diz.

Uma dica

Para mulheres que querem conhecer um estimulante bom, veja esse:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *