Pular para o conteúdo

A Organização Mundial da Saúde reconhece a disfunção erétil como um problema de saúde com o mesmo grau de incapacidade que a artrite reumatoide ou a angina de peito.

É definida como o distúrbio caracterizado pela incapacidade de alcançar e manter uma ereção suficiente para permitir uma relação sexual satisfatória e é, após a ejaculação precoce, a alteração mais comum da disfunção sexual em homens. O uso do termo “disfunção erétil” tem sido recomendado ao invés de “impotência”, porque define o problema com mais precisão e tem menos conotações sociais.

Por que a disfunção erétil ocorre e quem ela afeta?

Na maioria dos casos tem origem orgânica, que comumente se deve a doenças vasculares que diminuem o fluxo sanguíneo peniano, mas também pode ser resultado de fatores psicológicos, neurológicos, hormonais, alterações cavernosas, a combinação destes e até fatores de risco. modelo.

A disfunção erétil psicogênica é mais comum do que se acredita atualmente e pode aumentar no futuro, especialmente em homens jovens. A causa mais frequente é a ansiedade de desempenho ligada a diferentes circunstâncias. Outras causas são dadas por má educação sexual, experiências sexuais traumáticas na infância, conflitos no relacionamento, situações estressantes de qualquer natureza ou transtornos psiquiátricos como depressão, entre muitos outros.

Fatores de risco para disfunção erétil

Entre os fatores de risco mais comuns estão idade, diabetes mellitus, hiperlipidemia, doença vascular e hipertensão, além daqueles associados a estilos de vida como tabagismo, sedentarismo ou estresse:

  • Diabetes. O diabetes causa em 50% dos casos uma alteração na ereção após dez anos de evolução. A causa é multifatorial, com clara predominância de lesões arteriais e neurológicas.
  • Dislipidemia. O papel das alterações do metabolismo lipídico, em termos de participação na natureza orgânica da disfunção erétil, é importante, embora menos significativo que a ação do tabaco e do diabetes.
  • Hipertensão arterial. A própria hipertensão pode causar diminuição na produção de neurotransmissores para a ereção e o tratamento da hipertensão pode causar alterações no ciclo erétil. Os anti-hipertensivos representam a principal causa de impotência medicamentosa e podem causar impotência porque diminuem a pressão de perfusão no nível arterial cavernoso hipogástrico.
  • Tabaco. Atualmente pode-se afirmar que os fumantes apresentam disfunção erétil com maior frequência do que os não fumantes, sendo que os primeiros apresentam alteração orgânica das ereções; lesando precocemente suas artérias sexuais, principalmente se houver um fator de risco arterial associado. A ação vasoconstritora da nicotina provoca uma diminuição da pressão nas artérias sexuais. A cessação do tabagismo é essencial na terapia da disfunção erétil.
  • Álcool. Apesar de não ser considerado fator de risco arterial, o álcool exerce influência deletéria não apenas no estado vascular do indivíduo, mas também como potencial contribuinte para distúrbios sexuais. A ingestão aguda de álcool pode causar disfunção erétil, sendo em muitos casos responsável pelo início de um ciclo vicioso de falha-ansiedade-falha.

Tratamento da disfunção erétil

O manejo diagnóstico e terapêutico do paciente com disfunção erétil deve ser individualizado e realizado por um médico, levando em consideração as expectativas do paciente. Recomenda-se a realização de uma avaliação básica (história clínica completa, exame físico, determinações analíticas recomendadas, etc.). Se forem descobertas doenças não diagnosticadas anteriormente (diabetes, arteriosclerose, etc.), elas devem ser tratadas e os fatores de risco modificáveis ​​devem ser corrigidos.

Existem inúmeras opções terapêuticas para o tratamento da disfunção erétil. Atualmente, o tratamento de primeira linha são os medicamentos de administração oral, dentre os quais existem alguns que proporcionam seletividade superior a outros. No entanto, apesar da existência de medicamentos comercializados para tratar esse distúrbio (DE), apenas cerca de 10% dos homens com problemas de ereção procuram ativamente o tratamento.

A duração do efeito e a interação ou não da droga com alimentos e/ou álcool são fatores não médicos altamente valorizados pelos pacientes ao selecionar um tratamento para a DE. Com a crescente disponibilidade de tratamentos altamente eficazes para a DE, é cada vez mais importante ter ferramentas e profissionais para avaliar a eficácia dos tratamentos de forma abrangente e de longo prazo.

Onde comprá-lo? O papel da farmácia na disfunção erétil

O tratamento prescrito por um médico para TA deve ser adquirido na farmácia comunitária, destacando a missão do farmacêutico na dispensação e o valor que traz em relação à segurança do medicamento.

O mercado de medicamentos para DE é justamente um dos mais importantes, tanto na Europa quanto na Ásia, em termos de falsificação de medicamentos. A disseminação da falsificação é auxiliada pelo crescente número de possibilidades on-line que permitem o acesso a medicamentos prescritos sem a necessidade de ir a um médico.

Nesse ponto, vale destacar a atuação dos farmacêuticos comunitários na dispensação de medicamentos, bem como no acompanhamento de patologias e agravos à saúde. A organização de cuidados de saúde para a dispensa de medicamentos, apoiada pela supervisão e aconselhamento farmacêutico, permite a resolução de incidentes e dúvidas em determinados casos e o encaminhamento para o médico correspondente nos casos considerados adequados. Ao mesmo tempo, permite que sejam realizadas ações de farmacovigilância para avaliar o comportamento do medicamento na população, sua eficácia e eficácia, bem como os efeitos colaterais que podem advir de seu uso a longo prazo.

Por este motivo, a aquisição do medicamento na farmácia comunitária acrescenta uma garantia ao tratamento como o remédio tadalafil. Às vezes, é precisamente a farmácia que é o primeiro lugar a procurar aconselhamento para interpretar as manifestações de um problema como a disfunção erétil. O farmacêutico, como profissional de saúde, pode orientar o paciente quanto aos sintomas, auxiliando-o na interpretação da situação e orientando-o a encaminhá-lo ao médico, se for o caso. Caso o paciente necessite da prescrição médica de um tratamento, o farmacêutico pode oferecer a ele o acompanhamento da eficácia e evolução de sua eficácia.

Somos um blog de cunha informativa, para mais informações procure um especialista na área.

 

Você já ouviu falar em Fibrose Cística? Essa é uma doença genética que tem como principal característica a alteração das glândulas salivares, que desempenham um papel importante na saúde bucal

Dessa forma, quando a função dela é afetada e essas glândulas não conseguem desenvolver o seu papel, a saúde bucal também pode ser contaminada, além de outras aplicabilidades que podem atrapalhar o funcionamento do corpo como um todo. 

Portanto, confira a seguir tudo o que você precisa saber sobre essa doença, bem como tratá-la e descubra o papel de um consultório dentário na prevenção e tratamento dos sintomas apresentados em pacientes que possuem fibrose cística.

O que é Fibrose Cística?

A Fibrose Cística conhecida popularmente como Doença do Beijo Salgado ou Mucoviscidose, nada mais é do que uma enfermidade genética crônica que pode afetar não só a saúde bucal, como também, órgão vitais como os pulmões, pâncreas e o sistema digestivo.

Desse modo, esse tipo de patologia também pode ser mais comum do que parece, uma vez que, de acordo com pesquisas, ela pode afetar cerca de 70 mil pessoas em todos os 4 cantos do mundo. 

Além disso, essa doença pode ser mais comum em crianças.Ou seja, é importante permanecer de olho nelas e levá-las a consultas regulares ao dentista para criança.

Em resumo, essa doença se manifesta devido a um gene defeituoso e a proteína produzida por ele. Assim, o corpo acaba produzindo cerca de 30 a 60 vezes mais o muco das glândulas salivares, que ainda por cima, são mais espessos que o usual. 

Esse muco também acaba tendo mais bactérias e germes do que o normal, que acabam se acumulando, principalmente nas vias respiratórias. Isso pode causar sintomas, como: 

  • Inchaço;
  • Inflamações;
  • Infecções;
  • Pneumonia; 
  • Bronquite.

Além disso, esse muco anormal também causa problemas no pâncreas, o que pode acabar bloqueando enzimas essenciais de chegarem até o estômago e o intestino, afetando todo o sistema digestivo. 

Por isso, pacientes diagnosticados com fibrose cística acabam tendo que repor essas enzimas através de medicamentos tomados junto às refeições de forma frequente, como um auxílio na digestão.

Como a fibrose cística afeta a boca?

Como dito anteriormente, esse tipo de enfermidade acaba afetando muitas partes do corpo, inclusive os tecidos e partes da boca, podendo causar diversos problemas, fazendo com que o paciente precise procurar por um periodontista

Dessa forma, entre as dificuldades que podem afetar o bom funcionamento da boca, a fibrose cística pode gerar maior susceptibilidade para a cárie durante a adolescência, isso porque, ela acaba sendo facilitada, devido a presença de mais bactérias no muco que foram produzidos pelas glândulas salivares. 

Além disso, também pode haver mais incidência de cálculo dentário, conhecido popularmente como tártaro, assim como o canal, fazendo com que o paciente precise buscar por um dentista de canal

De modo resumido, essa doença também pode causar alterações no desenvolvimento do esmalte nos dentes, bem como nas relações de migração entre patógenos do ambiente oral para o pulmonar.

Toddler foto criado por 8photo - br.freepik.com

Tratamentos mais indicados 

Os tratamentos dessa patologia variam de acordo com cada caso e de acordo com o estágio da doença, bem como quais os sintomas apresentados em determinados pacientes. 

Entretanto, existem os procedimentos mais comuns que são usados na maioria dos pacientes que apresentam essa doença e estes são:

  • Ingestão de enzimas digestivas para a alimentação;
  • Suporte nutricional;
  • Medicamentos broncodilatadores, antibióticos, anti-inflamatórios;
  • Fisioterapia respiratória;
  • Atividade física;
  • Acompanhamento multidisciplinar frequente.

Em suma, é extremamente importante a avaliação de um profissional. Portanto, é válido procurar um profissional, principalmente um dentista, mesmo aqueles que são especialistas em lente de contato de resina.

Isso porque, mesmo que os sintomas sejam menores e não tenham chegado a indicar complicações em órgãos vitais, um especialista poderá analisar os problemas bucais e diagnosticar a fibrose cística. 

Dessa maneira, acompanhe a sua saúde bucal, de forma que, caso haja sintomas estranhos e até mesmo o ressecamento da boca, procure um dentista e solicite por orientações, pois, a sua boca também pode apresentar sinais importantes para descobrir outras doenças que afetam o corpo como um todo.

Vale lembrar que, saúde bucal também é sinônimo de qualidade de vida, e uma vez que não se presta atenção nos problemas bucais, o seu bem-estar de modo geral pode ser afetado. 

Conteúdo desenvolvido pela equipe do Status Fit Center, blog criado com o intuito de melhorar a saúde e o bem-estar por meio de conteúdos que reforçam a importância dos cuidados regulares.

Segundo dados oficiais da Sociedade Espanhola de Fertilidade (SEF) , um em cada seis casais espanhóis tem problemas de fertilidade. Isso levou a um aumento de até 28% nos tratamentos de reprodução assistida nos últimos anos, como fertilização in vitro (FIV) e inseminação artificial (IA).

Os termos esterilidade e infertilidade são frequentemente usados ​​de forma intercambiável como se fossem sinônimos. No entanto, a realidade é que eles não significam a mesma coisa. Neste artigo, explicaremos as diferenças entre esterilidade e infertilidade e as causas da infertilidade em mulheres e homens. Além disso, falaremos sobre as diferentes técnicas que existem para conseguir a gravidez.

Quais são as diferenças entre infertilidade e esterilidade?

Esterilidade e infertilidade são dois conceitos que se referem à incapacidade de engravidar. As diferenças entre infertilidade e esterilidade são:

  • Infertilidade: é a impossibilidade de conseguir a gravidez porque a fertilização do óvulo pelo espermatozoide não ocorre. A infertilidade pode ser primária (se o casal nunca teve filhos) ou secundária (quando a gravidez não é alcançada após o nascimento dos filhos).
  • Infertilidade: é a incapacidade de a gravidez chegar a termo devido a algum problema que surge durante a gestação. Embora a fertilização ocorra, o embrião não é implantado ou não se desenvolve adequadamente até o parto. A infertilidade pode ser primária (quando a mulher engravida, mas a gravidez não ocorre ou o bebê morre logo após o parto). Também pode ser secundária (o casal já tem filhos, mas não consegue completar satisfatoriamente uma nova gravidez).

Causas de esterilidade e infertilidade

A Sociedade Espanhola de Fertilidade (SEF) aconselha falar sobre fatores causais para se referir a distúrbios responsáveis ​​por uma alteração na capacidade reprodutiva. Estes podem levar à esterilidade ou infertilidade em mulheres , homens, ambos ou ser de origem desconhecida. As principais razões para a esterilidade e infertilidade são:

Fatores causais no homem

  • Fator pré-testicular : a alteração dos hormônios responsáveis ​​pela espermatogênese (FSH e LH) influencia negativamente na formação dos espermatozoides. Isso afeta a capacidade de fertilizar.
  • Fator testicular: são condições dos testículos, que podem ser genéticas, congênitas ou adquiridas (infecções), como orquite ou varicocele.
  • Fator pós-testicular: refere-se aos problemas que os espermatozoides têm para sair na ejaculação. Exemplos disso são a impotência sexual e a ejaculação retrógrada.
  • Fator de esperma: a qualidade do esperma não permite que a fertilização seja alcançada. Pode ser devido à mobilidade, morfologia ou concentração destes.

Fatores causais em mulheres

  • Fator cervical: são alterações anatômicas ou funcionais do colo do útero, como pólipos ou cistos, que dificultam a passagem do esperma até as trompas de falópio. É aqui que ocorre a fertilização com o óvulo.
  • Fator endócrino: é devido a problemas de controle hormonal do ciclo menstrual e da ovulação, como anovulação ou amenorreia.
  • Fator uterino: são causas endometriais ou miometriais que impossibilitam que o espermatozoide chegue ao óvulo, como miomas ou sinéquias.
  • Fator tubário: consiste em alterações nas trompas de falópio, o que causa sua obstrução. É o caso da endometriose , um dos principais fatores ligados à infertilidade (5-15%), segundo a Sociedade Espanhola de Fertilidade (SEF).

No caso da infertilidade, há também outros motivos que se referem à dificuldade do correto desenvolvimento e evolução do embrião:

  • Falha de implantação: é uma alteração que faz com que o embrião não se implante no endométrio uterino.
  • Aborto: ocorre quando a gravidez pára em estágios avançados do desenvolvimento do embrião ou feto.

Tratamentos de reprodução assistida

A escolha dos tratamentos de fertilidade depende do fator causador da esterilidade ou infertilidade. As técnicas de reprodução assistida mais procuradas são:

  • Fertilização in vitro (FIV): consiste na extração dos óvulos da mulher por meio de punção ovariana para posteriormente fertilizá-los em laboratório com esperma (do parceiro ou de um doador do banco de esperma). O embrião resultante é transferido para o útero da mulher para iniciar a gravidez.
  • Inseminação artificial (IA): baseia-se no depósito da amostra de sêmen (do parceiro ou de um doador) dentro do útero da mulher para que ocorra a fecundação e o início da gravidez. É uma técnica indolor e menos invasiva.
  • Doação de óvulos: os óvulos doados são usados ​​para conseguir a gravidez quando os óvulos da própria mulher não são viáveis ​​por motivos como baixa reserva ovariana, idade materna avançada (a partir de 35 anos) ou doenças genéticas.

Você pode ver a Hi Saúde da Mulher - Uma clinica especializada para você.

Se você deseja realizar seu sonho de constituir família, em nossa mini clínica de fertilidade de fertilização in vitro, ajudamos você a alcançá-lo. Somos pioneiros em tratamentos de reprodução assistida com estimulação leve na Espanha, uma alternativa natural com doses mínimas de medicação hormonal, que permite uma rápida recuperação e tem altas taxas de sucesso.

A atividade física é essencial para qualquer idade, isso porque ela melhora a qualidade de vida e consequentemente a saúde das pessoas. Mas, algo que muitos não sabem, é que a prática de exercícios também é importante para a saúde bucal.

Praticar exercícios regularmente pode pode reduzir os riscos de desenvolver vários tipos de doenças, entre elas:

  • Hipertensão;
  • Diabetes;
  • Osteoporose;
  • Depressão;
  • Doenças cardíacas.

Entretanto, também é preciso aliar a prática de exercícios como uma dieta balanceada, ou seja, que contenha pouco sal, gorduras e frituras. 

Em relação a saúde bucal, uma pesquisa realizada pelo Journal of Dentistry, revelou que praticar exercícios regularmente pode melhorar a saúde periodontal.

Isso porque comprovou-se que 54% das pessoas que praticam exercícios têm menor chance de desenvolver periodontite.

Essa porcentagem foi em comparação às pessoas que levam vidas sedentárias, ou seja, quem não têm o costume de praticar atividades físicas.

Além disso, um levantamento feito pelo Journal of Periodontology, mostrou que existe uma ligação entre o Índice de Massa Corporal (IMC) e a saúde bucal, mostrando que pessoas praticantes de atividade física apresentam uma tendência de 40% menor de ter periodontite.

Diante desses fatos, é preciso inserir pelo menos 30 minutos de atividade física no seu dia a dia. Apesar de parecer pouco, esse tempo já irá te ajudar a ter uma qualidade de vida melhor.   

Praticar exercícios pode aliviar os sintomas do bruxismo

O bruxismo é uma condição parafuncional caracterizada pelo apertamento ou ranger dos dentes e pode acometer pessoas de todas as idades. Essa ação é realizada pelos músculos da mastigação e podem afetar o tratamento com lente de contato dental

Esse ato pode causar diversas consequências para as pessoas, como lesões orofaciais, desgastes dentários, lesões periodontais e dor muscular. Apesar de ser uma condição que não tem cura, é possível controlar algumas atividades para aliviar os sintomas.

Uma das formas de aliviar os sintomas, é levar uma vida mais saudável, controlando sintomas como estresse e ansiedade, tudo aliado à prática de exercícios.

Praticar exercícios alivia a tensão dos músculos e libera endorfina, o que pode diminuir o nível de estresse.

Além disso, é preciso realizar visitas regulares no seu dentista de confiança, para saber quanto custa um implante dentário, pois somente um profissional será capaz de te dar o diagnóstico correto e o valor correto. 

Como exercícios físicos podem ajudar na saúde bucal

Muitas pessoas não sabem, mas realizar atividades físicas pode contribuir para uma boa saúde bucal, isso porque as pessoas que praticam exercícios regularmente conseguem fortalecer sua imunidade.

A prática regular de exercícios aliada a uma dieta saudável reduz as chances de doenças inflamatórias, inclusive as bucais, o que reduz as chances de piorar possíveis sintomas de um problema na cavidade oral que possa prejudicar sua prótese dentaria

Além disso, é preciso estar sempre atento com a higiene bucal, sem esquecer do uso do fio dental. São um conjunto de ações que juntas, conseguem fortalecer o organismos para combater possíveis problemas, inclusive os problemas bucais.

A relação da saúde bucal com a saúde do corpo

A saúde do corpo e da boca funcionam como uma via de mão dupla, isso porque pesquisas apontam que doenças sistêmicas podem estar ligadas a má-higiene bucal, como as doenças cardíacas, pneumonias e até mesmo o nascimento prematuro de bebês.

Isso porque a corrente sanguínea é a responsável por essa ligação entre os diversos sistemas do corpo humano, e, quando prejudicado, pode causar um grande prejuízo à saúde geral do corpo.

Portanto, quando pensar na saúde e bem-estar do seu corpo, lembre-se que o seu sorriso também está incluído nessa soma, e que ele será beneficiado pelas suas escolhas, principalmente se você utiliza aparelho dentário invisível.

Faça da sua saúde uma prioridade, seja com exercícios ou se alimentando bem. Realize consultas com médicos de diversas especialidades, incluindo ortodontistas ou clínicos gerais de odontologia.

Somente se informando e conhecendo o próprio corpo, será possível ter uma saúde geral apropriada.

Preserve sua saúde bucal

A saúde bucal é um elemento que merece constante atenção, seja por vontade de colocar facetas de porcelana antes e depois ou para tratar algum problema bucal. O ideal é realizar consultas periódicas com o seu dentista de confiança.

Quando você visita regularmente um dentista, é possível tratar os problemas com antecedência e prevenir o surgimento de outros, pois somente um profissional é capaz de avaliar as condições bucais corretamente.

Ter uma vida mais saudável influencia a saúde das pessoas em vários níveis, inclusive a sua saúde bucal, e isso inclui a prática regular de exercícios, uma alimentação saudável e uma boa higiene bucal.

Conteúdo desenvolvido pela equipe do Status Fit Center, blog criado com o intuito de melhorar a saúde e o bem-estar por meio de conteúdos que reforçam a importância dos cuidados regulares.

A Covid-19, doença ocasionada pelo novo coronavírus, tem espalhado e feito grandes estragos no mundo desde o mês de janeiro de 2020.

Esses danos do vírus, causando mortes e sequelas em muitos pacientes que sobrevivem a ela, atinge milhares de brasileiros.

Com uma segunda onda ainda em alta e o medo de uma terceira onda, as pessoas buscam então por formas de conseguir proteger aos seus entes queridos contra possíveis riscos a que estão expostas.

Sendo assim, a procura por seguro de vida tem crescido e um questionamento feito é: o serviço cobre o coronavírus?

Isso é o que nós iremos lhe mostrar.

O seguro de vida cobre o coronavírus?

A resposta é sim, o seguro de vida já cobre o coronavírus.

Assim, para que aconteça da covid-19 vir a ser coberta nas apólices de seguro de vida, as seguradoras passaram a rever totalmente as condições gerais do serviço que é oferecido.

Isso ocorre devido ao fato de que as pandemias são consideradas como sendo riscos excluídos, o que significa que elas não são cobertas pelos seguros de vida.

Desde o momento em que a OMS passou a dar ao coronavírus o “status” de uma pandemia, o que começou em 11 de março de 2020, as seguradoras não estavam obrigadas a dar cobertura para a morte ocasionada pela covid-19.

Entretanto, elas passaram a perceber que esse é um momento único no mundo, então as pessoas necessitam desse auxílio para si e também para seus parentes.

A partir daí, as seguradoras então passaram a cobrir a covid-19, ocasionada pelo novo coronavírus.

Desde que o primeiro caso de covid-19 foi confirmado aqui no Brasil, através do Ministério da Saúde, então houve um enorme crescimento na busca por seguros de vida.

Coronavírus: Como o seguro de vida funciona nesses casos?

A partir do momento em que os seguros de vida passaram a cobrir o coronavírus, por conta das mudanças com relação à pandemia ser um risco excluído, nada mais normal do que surgirem dúvidas.

As pessoas que já tinham um seguro de vida antes do início da pandemia são totalmente livres de qualquer carência, com relação aquelas coberturas que estão ligadas de forma direta à covid-19.

É o caso de morte, despesas médicas ou assistências funerais, por exemplo.

Entretanto, para aquelas pessoas que passaram a fazer a contratação do seguro de vida a partir do início da pandemia, sempre há que se consultar não só os planos, mas as condições, incluindo as carências que são aplicadas.

Covid-19: Saiba quais são as coberturas feitas pelo Seguro de Vida

Cobertura em caso de morte

No caso de uma pessoa que morre devido ao novo coroavírus, ou ainda de morte natural ou devido a um acidente sofrido pelo segurado, então a empresa irá pagar a indenização para as famílias e também para os outros beneficiários.

Esses demais beneficiários precisam estar descritos, caso existam, na apólice do seguro.

O valor da indenização a ser pago deverá estar estipulado no contrato assinado pelo segurado.

Sem dúvidas, essa é uma das mais importantes coberturas, pois ajudam bastante aquelas famílias que perderam uma pessoa querida, de modo que elas possam ter um auxílio financeiro para reconstruírem suas vidas.

Cobertura para Assistência Funeral

A assistência funeral, ao contrário da cobertura para morte, é distinta e trata-se de uma cobertura que é adicional, o que indica que ela pode vir a ser incluída na apólice, desde que o segurado possua interesse.

A cobertura tem o objetivo principal de estar custeando aquelas despesas que são referentes a questões como o funeral do segurado.

No caso da morte por conta da covid-19, a limpeza realizada no corpo, a preparação do corpo para o velório e o enterro ou a cremação vão ser realizadas de acordo com as recomendações feitas para autoridades de saúde.

Cobertura para despesas médico-hospitalares

Essa cobertura é também adicional, e com ela, o segurado irá ter o direito de ser reembolsado ou poderá ser atendido até aquele valor que é contratado para os ambientes hospitalares.

Isso significa que os gastos com médicos e com hospital, devido ao tratamento da covid-19, são cobertos pelo seguro, sempre considerado o que foi assinado na apólice.

Intolerância alimentar

Você sofre com intolerância alimentar?

Sabia que assim como você, milhares de outras pessoas também sofrem desse problema.

O mesmo ocorre quando o organismo não contém enzimas suficientes para absorver os açúcares de certos tipos de alimentos ingeridos pela pessoa.

É diferente da alergia por alimentos, pois quando se trata de alergia o alimento ingerido é tratado pelo organismo como invasor.

O que é alergia alimentar?

Não confunda alergia alimentar com intolerância alimentar, nesse mal entendido o corpo acaba sendo prejudicado e nisso, os órgãos podem sofrer as consequências.

Os sintomas podem ser:

  • coceira
  • lábios inchados
  • diarreia
  • falta de ar
  • tosse
  • choque anafilático (na pior das hipóteses)

Mesmo sendo uma alergia leve, pode haver ataques mais sérios após a ingestão de certos tipos de comida.

Como tratar

Esse tipo de problema costuma-se ocorrer na infância da pessoa, porém o problema pode sumir antes dos 5 anos já que o sistema imune da garotada está em alto desenvolvimento.

Se o problema persistir até a adolescência, infelizmente a pessoa pode levar o problema para o resto da vida.

A imunoterapia é uma das apostas de vários especialistas para tratar o problema de intolerância alimentar. Esse tipo de tratamento só pode ser feito em hospitais com especialistas pois o mesmo pode haver efeitos colaterais.

Maiores causadores de alergia alimentar

E agora, tratando-se de alimentos prejudiciais para quem sofre de alergia alimentar, veja quais sãos os alimentos que você deve estar evitando de comer:

  • Castanhas
  • Leite e seus derivados
  • Gergelim
  • Trigo
  • Soja
  • Peixes e frutos do mar
  • Ovo
  • Amendoim

Já os alimentos para quem sofre de intolerância alimentar são:

  • Camarão
  • Leite
  • Frutas cítricas
  • Carnes processadas
  • Repolho
  • Ovos
  • Grãos com glúten
  • Banana
  • Vinho tinto
  • Produtos com corantes

Se ao ingerir algum desses alimentos você sentir os seguintes sintomas abaixo, procure um alergologista:

  • barriga inchada
  • má digestão
  • gases

Lembre-se, alergia e intolerância alimentar tem diferença. Se sentir alguns dos sintomas mencionados no artigo, procure ajuda médica com urgência.

 

Intolerância alimentar dica

Quer ter uma vida mais saudável e fugir de médicos ou medicamentos?

A melhor coisa a se fazer é praticar atividades físicas, procurar comer apenas alimentos saudáveis e se você sofre com esse problema, procure se cuidar da maneira correta para evitar maiores complicações.

Saúde é uma só, e devemos cuidar muito bem dela. Eu sei que é difícil deixar de comer certos alimentos que você gosta, porém saiba que é para seu bem.

Não sofra mais de intolerância alimentar.

- Reserva financeira tem seu valor; e na hora do aperto ela é essencial para evitar o pânico extremo, por isso, contratar um seguro é de extrema importância.
- Compras no mercado devem ser feitas em: lote grande uma vez ao mês, lotes pequenos como feira toda semana; o bom senso nunca sai de moda e o próximo precisará comprar se você assim permitir.

Nunca sabemos o dia de amanhã.

- Ame a sua família, mais do que qualquer happy hour; dê a vida por eles se preciso for.
- Trabalhe, mas aprenda pelamordedeus a fazer outras coisas; não seja um escravo do trabalho, um workaholic que só pensa em trabalhar.
- Ame sua casa; não tem nada pior do que uma pessoa que prefere qualquer lugar à sua própria casa. É deprimente isso.
- Cuida da sua saúde e de quem você ama; o coronavírus está matando muito mais quem tem saúde precária.
- Ame você e o seu tempo sozinho; aprenda a viver bem com a sua própria companhia e aí sim viverá em paz com os outros.

Aprenda a viver só se necessário 

- Saiba viver em isolamento;
- Seja criativo; não permita que a rotina desgaste você e sua família
- Aprenda a jogar baralho, brincar com papel e lápis, jogos de tabuleiro e mais do que qualquer coisa: a conversar; tente fazer isso antes que de repente a Internet caia por conta de funcionários em quarentena.
- Aprenda a conversar com quem você convive;

Faça coisas simples e necessárias. 

- Comece a aprender coisas manuais, pegue uma caixa de ferramentas e conserte coisas em sua casa; será uma terapia muito saudável para você e os seus.
- Tenha contato com a natureza, é ela quem está dando as cartas agora; o céu da China está voltando a ficar azul, as águas de Veneza na Itália estão voltando a ser cristalinas, coisa que não se via há décadas.

- Cuide dos animaizinhos, eles vivem conosco e sofrem como nós com tudo isso; e convenhamos, ter um bichinho em casa é tudo de melhor.

Aprenda a valorizar profissões esquecidas: professores, médicos, engenheiros, dentistas, donas de casa, mães e pais; honremos os enfermeiros e médicos que estão dando a vida para amenizar o coronavírus.

- Cuide do corpo, mas cuide antes da alma. Igrejas podem ser legais, mas o espírito precisa de energia, não de um padre; e o vírus não escolhe quem atacar.

Não é somente uma questão de fé, é uma questão biológica e quem insiste em desobedecer as leis por conta da fé deveria ser obrigado a escrever uma carta de próprio punho dizendo que se pegar o coronavírus abre mão de atendimento médico por conta da desobediência às leis terrenas.
- Seja solidário com quem precisa, um dia será sobre você!

É isso

Consertos e reformas de roupa 

Os erros refrativos em diferentes faixas etárias prejudicam a qualidade de vida das pessoas e as atividades a serem realizadas por essas. Por isso os tratamentos cirúrgicos são bastante requisitados, principalmente em grandes cidades como no caso de Curitiba onde cirurgias refrativas para correção de grau são frequentes.

Porém, não é em qualquer momento em que o paciente pode se submeter a cirurgia refrativa, por isso a idade recomendada para avaliação mais aprofundada e ato cirúrgico é a partir dos 18 anos de idade e como pelo menos um ano com grau estabilizado.

Já nos casos de pessoas acima dos 40 anos de idade se junta a esses problemas a presbiopia onde a dificuldade de enxergar se alastra tanto para perto quanto para longe.

Diagnóstico

Após a percepção dos sintomas são requeridos exames adicionais para perfeita visualização do quadro clínico do doente e análise aprofundada do caso.

Uma série de exames pode ser feita,  incluindo por exemplo, Topografia e tomografia de córnea, paquimetria, microscopia e mapeamento de retina, além de pedidos específicos para entendimento de demais alterações e/ou degenerações oculares que contra-indiquem a cirurgia ou não.

Portanto, para realizar uma cirurgia refrativa em Curitiba, em primeiro lugar o candidato deve estar estimulado a realizar a cirurgia com expectativas reais quanto à eliminação dos seus óculos ou lentes de contato,

As características físicas do olho serão avaliadas para saber se sua córnea permite a aplicação do laser. Por fim, o profissional e local para cirurgia devem ser cuidadosamente escolhidos.

Para resolver esse impasse e indecisão, a capital paranaense disponibiliza dos serviços do Dr. Eduardo Arana, oftalmologista renomado em Curitiba, atende milhares de pacientes de ambos os sexos e idade.

Doenças refrativas e cirurgias em Curitiba

Um dos meios mais eficientes de correção desses problemas é a cirurgia a laser que permite tratar o grau de miopia e hipermetropia, assim como astigmatismo isolado ou em associação com os anteriores. A amplitude de correção depende dos parâmetros dos exames de cada paciente.

A Cirurgia a Laser é indicada em pacientes com miopia, hipermetropia e astigmatismo que têm desejo de diminuir a dependência de óculos ou lentes de contato.

O que é cirurgia refrativa à Personalizada?

Outro tipo de cirurgia refrativa em Curitiba é a personalizada, onde ambos os olhos obtém o mesmo vício de refração (os comumente chamados “graus” de miopia, hipermetropia ou astigmatismo), mas que não necessariamente são iguais no que se refere a outros parâmetros oculares, ou seja, com relação direta a curvatura, comprimento, espessura da córnea e aberrações ópticas.

Esse padrão personalizado não se restringe apenas à correção dos vícios de refração, mas sim a uma avaliação das características particulares individuais de cada olho para montagem de uma programação cirúrgica específica a cada globo ocular do paciente.

Também existe a cirurgia refrativa tradicional, bastante realizada pelo Dr. Eduardo Arana em seu consultório sediado em Curitiba!

Outro ponto importante é que os tratamentos, principalmente feitos a laser não causam dor, já que se faz sempre o uso de colírios anestésicos para prevenção de incômodos que podem atrapalhar o procedimento. Por fim, a cirurgia a laser dura, em média, 30 minutos para ambos os olhosm, não sendo necessária internação antes ou após a cirurgia, situação que libera o paciente para voltar a sua casa e rotina, poucos momentos depois do término do tratamento.

O que são doenças de pele contagiosas?

Sua pele é a armadura do seu corpo, protegendo-a de forças ambientais prejudiciais.

Mas, às vezes, vírus, bactérias ou fungos penetram na pele e causam infecções. Essas infecções são chamadas de doenças de pele contagiosas.

Aqui está uma lista de doenças de pele contagiosas comuns e suas causas. O site minha dieta funciona é especialista nesses assuntos, acesse-o também.

Impetigo

Esta infecção é transmitida pelo contato com as feridas de uma pessoa infectada e afeta mais freqüentemente bebês e crianças.

eczema

Molusco contagioso

Este vírus se espalha para outras partes do corpo, coçando ou de pessoa para pessoa. Nos adultos, o molusco contagioso é frequentemente adquirido através do contato sexual.

Infecções fúngicas

As pessoas têm infecções fúngicas por respirar ou escovar contra esporos de fungos no ambiente.

Na maioria das vezes, eles afetam pessoas com sistema imunológico enfraquecido.

Pé de atleta

O fungo que causa o pé de atleta é freqüentemente encontrado em superfícies úmidas, como em torno de uma piscina ou em chuveiros públicos. Também conhecido como Impinge.

Para ter acesso aos melhores tratamentos de impinge, acesse Impinge tratamento Caseiro.

Sarna

Esta infecção é causada por ácaros microscópicos que penetram na pele para viver e se alimentar.

A infecção se espalha pelo contato pele a pele ou por itens infestados, como móveis e roupas de cama.

Micose

Você pode contrair esta infecção por fungos através do contato pele a pele com uma pessoa ou animal infectado.

Telhas

as telhas se desenvolvem a partir do mesmo vírus que causa a catapora.

Sintomas

As doenças de pele contagiosas apresentam uma ampla gama de sintomas. Alguns têm semelhanças como erupções cutâneas, mas a maioria é muito diferente.

Impetigo

Feridas vermelhas ao redor do nariz, boca, mãos e pés. Crostas cor de mel se desenvolvem após a ruptura das feridas.

O impetigo pode causar coceira e dor leves.

Molusco contagioso

Solavancos pequenos e firmes, cor-de-rosa ou cor de pele com um centro ondulado.

Eles ficam vermelhos quando o sistema imunológico combate a infecção. Alguns inchaços podem coçar, mas são indolores.

Molusco contagioso geralmente aparece no rosto, pescoço, mãos, braços e axilas.

Infecções fúngicas

Erupção cutânea em áreas úmidas do corpo, onde a pele esfrega contra a pele, como entre os dedos dos pés, sob os seios e na área genital.

Pé de atleta - erupção cutânea rachada ou com bolhas que causa picadas, coceira e queimação e, possivelmente, um odor desagradável.

Geralmente começa entre os dedos dos pés, mas também pode aparecer nas solas e nas laterais dos pés, e pode se espalhar para as unhas dos pés, virilha e axilas.

Sarna

Comichão que mantém você acordado à noite, erupções cutâneas pequenas que parecem colmeias, feridas por arranhões que podem ser infectados e áreas com crostas em casos graves.

Os ácaros podem cavar em qualquer parte do corpo, mas preferem entre os pulsos, cotovelos, dedos, unhas, nádegas, linha do cinto, pênis e mamilos.

Micose

Uma infecção fúngica que começa como uma área escamosa vermelha. A área se espalha para fora e forma um anel circular com uma borda levemente ondulada.

A parte interna do círculo pode parecer clara, escamosa ou irregular e vermelha. Às vezes, vários anéis aparecem e se sobrepõem.

Telhas

dor, queimação, dormência ou formigamento, erupção cutânea vermelha, bolhas que rompem e crustam e coceira.

Na maioria das vezes, aparece como uma única tira de bolhas que envolve o tronco, mas também pode se desenvolver ao redor dos olhos, pescoço ou rosto.

As telhas também podem causar febre, dor de cabeça, fadiga e sensibilidade à luz.

Opções de tratamento

Algumas doenças de pele contagiosas são claras por si próprias. Por exemplo, o molusco contagioso em crianças tende a se resolver dentro de 12 a 18 meses.

Mas a maioria exige tratamento sem receita ou prescrição médica.

Tópicos

Pomadas antibióticas para impetigo; pós ou sprays antifúngicos para o pé de atleta; Cremes ou unguentos antifúngicos para o pé e a micose de atletas;

Cremes ou loções para prescrição de sarna; ácidos e soluções de bolhas para destruir solavancos de molusco contagioso; cremes esteróides para aliviar a coceira e a vermelhidão.

Medicamentos orais

Antibióticos para impetigo; medicamentos antifúngicos para pé de atleta e micose; medicamentos antivirais para telhas.

Cirurgia

Criocirurgia, curetagem e cirurgia a laser para remover inchaços do molusco contagioso.

Você pode ter que evitar comer ovos se desenvolver consistentemente sintomas de gastrite, que é uma inflamação no revestimento do estômago.

A gastrite pode ser o resultado de uma alergia ao ovo, intolerância ao ovo ou intoxicação alimentar. Relate dor abdominal intensa, sangue nas fezes ou vômito ao seu médico imediatamente para evitar outras complicações.

Evite comer ovos até que você possa ser visto pelo seu médico. Alergia ao ovo. Se comer ovos causar sintomas de gastrite juntamente com outros sintomas, você pode ter alergia a ovos.

Será que quem tem gastrite pode comer ovo?

Comer ovo faz mal para quem tem gastrite?

Os ovos são um dos alimentos mais comuns que desencadeiam uma reação alérgica.

Se você é alérgico a ovos, seu sistema imunológico confunde as proteínas da clara de ovo, da gema do ovo ou de ambas como uma substância perigosa.

O corpo reage exageradamente às proteínas do ovo, enviando uma enxurrada de produtos químicos na corrente sanguínea para atacar as proteínas.

A presença dessas proteínas causa inflamação nos tecidos moles do corpo. Uma alergia ao ovo pode causar inflamação no sistema digestivo, na pele, no sistema cardiovascular e no sistema respiratório.

As alergias aos ovos podem causar choque

Em algumas pessoas e até levar à morte em casos extremos. Para saber tudo sobre gastrite, acesse o site Minha Dieta Funciona, nesse site, você encontrará várias informações sobre o problema.

Intolerância ao ovo

O Centro Médico da Universidade de Maryland relata que cerca de 25% dos americanos acreditam que são alérgicos a um alimento, mas apenas 2% da população adulta é diagnosticada com alergia alimentar.

Muitas pessoas confundem intolerância ao ovo com alergia ao ovo. A intolerância ao ovo pode causar gastrite, não por causa de reações químicas no corpo, mas por proteínas não digeridas.

A intolerância ao ovo ocorre quando seu sistema digestivo é incapaz de quebrar as proteínas dos ovos, causando inflamação, inchaço, gases e diarréia. A intolerância ao ovo não envolve o sistema imunológico e causará principalmente complicações digestivas.

Intoxicação alimentar

A intoxicação alimentar por ovos pode causar gastrite se os ovos que você consumir estiverem contaminados com parasitas, bactérias ou vírus, de acordo com o MedlinePlus.

A inflamação se desenvolve no revestimento do estômago e intestinos que causa dor de estômago, vômito, náusea e diarréia. Se você suspeitar que tem intoxicação alimentar por comer ovos, ligue para seu médico. Em alguns casos, a intoxicação alimentar pode causar sintomas graves.

A desidratação é uma preocupação comum com intoxicação alimentar; portanto, certifique-se de aumentar a quantidade de líquidos que você bebe para evitar a desidratação.

Considerações

Seguindo as dicas do unesporte, se você desenvolver sintomas de gastrite ao comer ovos, pode ter uma condição digestiva. As condições digestivas comuns que causam sintomas de gastrite incluem a doença de Crohn, a síndrome do intestino irritável e a colite ulcerosa.

Consulte o seu médico para obter um diagnóstico e opções de tratamento adequados.